Jovens do PAE Lago Grande mobilizam comunicação para defender seu território e modo de vida

14 de novembro de 2019 - Notícias



Dezenas de jovens têm se organizado para defender seu território e o modo de vida que seus ancestrais têm praticado por gerações na floresta Amazônica, mobilizando a comunicação nesse sentido. Eles vivem nas 144 comunidades extrativistas, ribeirinhas e indígenas espalhadas pelos 252 mil hectares do Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Lago Grande, na região de Santarém (PA). Classificado como “ambientalmente diferenciado”, este PAE tem o privilégio de ser banhado pelos rios Amazonas, Tapajós e Arapiuns.

Preocupado com diversas ameaças, cada vez mais próximas, como o desmatamento, a mineração, os agrotóxicos, a pesca ilegal, a caça predatória e apropriação ilegal do seu território, este grupo de jovens vem se organizando para defender o seu território, apesar de todos os desafios, como a própria extensão territorial do PAE e as enormes dificuldades de transporte. Neste processo, a formação em comunicação vêm sendo realizadas no âmbito do projeto Todos os Olhos na Amazônia. Nela, os jovens discutem conceitos e técnicas de comunicação e também seu caráter político, passando por temas como o direito à comunicação e sua mobilização como ferramenta de luta para garantir outros direitos.

O ápice deste movimento de organização e resistência dos jovens em defesa do seu território acontece na I Romaria do Bem Viver, nos dias 16 e 17 de novembro, que discutirá temas como direitos humanos, identidade, juventude, políticas públicas, agroecologia e mineração. Em um percurso de 35 km, entre as comunidades de Cuipiranga e Murui, os jovens também poderão exercitar os aprendizados das oficinas, realizando toda a assessoria de comunicação e a cobertura do evento, através do registro em foto, vídeo, texto e da publicação em diversos canais, especialmente em redes sociais.

Diverssas organizações atuam em parceria no projeto Todos os Olhos na Amazônia: Federação das Associações de Moradores e Comunidades do Assentamento Agroextrativista da Gleba Lago Grande (Feagle), Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém (STTR-STM), Fase-Amazônia, ARTIGO 19, Witness e Greenpeace.

Saiba mais: Os resistentes jovens do PAE Lago Grande (Patrícia Bonilha / Greenpeace)

Foto e informações: Patrícia Bonilha/Greenpeace

 

 


LINK: https://artigo19.org/?p=16975

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *