Conselho

Conselho

Diretora-Executiva:

Denise Dourado Dora

Denise Dourado Dora é advogada e defensora de direitos humanos. Possui Mestrado em Direito Internacional dos Direitos Humanos pela Universidade de Essex, Inglaterra, e em História, Política e Bens Culturais pela Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro. Foi co-fundadora da THEMIS –Gênero Justiça e Direitos Humanos, coordenadora de direitos humanos da Fundação Ford no Brasil, e Ouvidora Externa da Defensoria Pública do Rio Grande do Sul. Integra o Comitê Assessor da ONU Mulheres da América Latina, e é fellow da Womanity Foundation. Atualmente é Diretora Regional da Artigo 19, organização internacional que defende a liberdade de expressão e informação.

 

Conselho Administrativo:

Belisário dos Santos Junior

Advogado, compõe o Comitê Executivo da Comissão Internacional de Juristas. De 1995 a 2000, serviu na Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo. Foi conselheiro do Instituto de Seguridade Social do Estado de São Paulo e exerceu a presidência na Associação de Advogados Latino Americanos para a Defesa de Direitos Humanos.

Bianca Santana

Doutora em ciência da informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Colunista de ECOA-UOL e da Gama Revista. Colaboradora da Revista Cult.Pela UNEafro Brasil, colaborou com a articulação da Coalizão Negra Por Direitos e agora se dedica à estruturação do Instituto de Referência Negra Peregum.É associada da SOF – Sempreviva Organização Feminista e compõe os conselhos dos institutos Vladimir Herzog e Marielle Franco.

Eduardo Pannunzio

É doutor em Direito do Estado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, mestre em Direito Internacional dos Direitos Humanos pela Universidade de Essex, e bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da USP. Foi coordenador do programa Marco Legal e Políticas Públicas do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife) de 2005 a 2008 e gerente do Programa Federal de Assistência a Vítimas e a Testemunhas Ameaçadas na Secretaria de Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça (2000-2001). Como advogado, foi sócio, diretor técnico e coordenador da área de terceiro setor de Rubens Naves, Santos Jr. Advogados (2007-2012) e advogado associado de Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Advocacia (2003-2005). Atualmente, é também pesquisador associado do Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada (CPJA) da Escola de Direito de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas.

Eduardo Regules – Presidente

É bacharel e mestre em Direito do Estado, concentração em Direito Administrativo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Foi chefe da Assessoria Jurídica da Secretaria Municipal de Assistência Social de São Paulo (2002-2004), consultor em Seguridade Social da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e integrante da Comissão Municipal de revisão das regras da Declaração de Utilidade Pública voltada às organizações do Terceiro Setor na Prefeitura de São Paulo, em 2004. Foi também professor em curso de especialização oferecidos pela Universidade Católica de Santos, Universidade Nove de Julho e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Escreveu ainda o livro “Terceiro Setor – Regime Jurídico das Oscips”, publicado em 2006 pela Editora Método.

Kátia Brasil

Cofundadora e editora-executiva da Agência Amazônia Real. É formada em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação e Turismo Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, em 1990. Entre os prêmios que ganhou estão o Esso de Jornalismo com reportagem “Bandeira do Brasil Hasteada na Fronteira” pelo jornal A Gazeta de Roraima e o 1o. Prêmio de Jornalismo da Associação Médica do Estado do Amazonas, em 1995. Foi indicada mais duas vezes ao Prêmio Esso (1994 e 1996) e ao Troféu Mulher Imprensa 2011. Pela Amazônia Real: ganhou o 1º. Prêmio de Jornalismo Cidadão – Radiotube 2015 com o documentário “Aruká, o último guerreiro Juma”, que conta a história do povo em risco de extinção do sul do Amazonas; e o prêmio de Melhor Direção na Categoria Amazonas no Festival de Cinema Olhar do Norte 2018 com o documentário “Pés de Anta – As cineastas Munduruku”.

Luciana Guimarães

É formada em Direito com especialização em Direitos Humanos. Fundadora do Instituto Sou da Paz, onde também foi Diretora. Foi coordenadora das Políticas de Juventude da Prefeitura Municipal de São Paulo onde também concebeu, implementou e dirigiu o Centro Cultural da Juventude da Secretaria Municipal de Cultura. Foi chefe de Gabinete do Cepam e hoje é Superintende Executiva da Fundação Bienal. Membro de diferentes Conselhos da sociedade civil, como Ação Educativa, Sou da Paz e Poiesis.

Malak Poppovic

Possui bacharelado em Economia na Universidade do Cairo e pós-graduação em Economia e Relações Internacionais pelo Graduate Institute of International Studies de Genebra. De 2005 a 2011, foi diretora-executiva da Conectas Direitos Humanos. Anteriormente, foi assessora para a área de Paz, Segurança e Direitos Humanos da United Nations Foundation e para o Programa de Parceria contra a Pobreza e a Exclusão Social da Comunidade Solidária em Brasília, além de ter trabalhado para o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados em vários países (1975-1988). Foi ainda pesquisadora sênior do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo.

Marcos Rolim

Doutor e mestre em Sociologia, com graduação em jornalismo e especialização em segurança pública. Coordenador da assessoria de comunicação social do Tribunal de Contas do Estado do RS; professor do mestrado em Direitos Humanos da UniRitter. Conferencista e pesquisador na área de segurança pública. Autor de vários livros, entre eles “A Síndrome da Rainha Vermelha, policiamento e segurança pública no século XXI” (Zahar/Oxford University), “Bullying: o pesadelo da Escola” (Dom Quixote) e “A Formação de Jovens Violentos: estudo sobre a etiologia da violência extrema” (Appris, 2016).

 

Conselho Fiscal

Heber Araujo

É administrador de empresas com MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e pós-graduação em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pelo Mackenzie. Possui 13 anos em posição de liderança em área administrativas e financeiras, tendo gerenciado áreas de Contabilidade, Tesouraria, Gestão de Pessoas, Suprimentos, Tecnologia de Informação e Facilities. No terceiro setor, foi gerente administrativo financeiro do Instituto Grupo Pão de Açúcar e do Instituto Success for Kids Brasil.

Marcos Fuchs

É diretor adjunto da Conectas Direitos Humanos e diretor-executivo do Instituto Pro Bono. Foi um dos líderes na introdução da cultura pro bono no Brasil e atualmente fomenta a ideia também em outros países da América do Sul. Participou da discussão sobre a resolução Pro Bono aprovada pela OAB-SP em agosto de 2002.  É também autor do caderno “Expandindo Acesso à Justiça”, publicado pelo Centro de Vítimas de Tortura da organização New Tactics in Human Rights. Exerceu voluntariamente a direção administrativa do canal comunitário da OAB-SP (2004-2005).

Thiago Donini

Possui mestrado em Direito do Estado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). É professor de Direito Administrativo do Instituto Brasileiro de Educação em Gestão Pública (Ibegesp) e do curso de especialização em Direito Administrativo da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), além de ser professor convidado do Grupo de Investigación Derecho Público Global da Universidade da Coruña (Espanha). Foi professor de Direito Administrativo do curso de graduação em Direito da Universidade Nove de Julho, e professor e assistente de coordenação do curso de especialização em Direito Constitucional da Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão da PUC-SP. Escreveu diversos artigos em revistas, jornais e periódicos, e colaborou para diversas obras na área do Direito. É ainda autor do manual “Organizações Sociais de Cultura. Recomendações para Programas de Publicização na área cultural” (Ibegesp/Abraosc, 2016).

Loading animation
Icone de voltar ao topo