Último voto de Celso de Mello defende que Bolsonaro deponha presencialmente sobre ingerência na PF

8 de outubro de 2020 - ARTIGO 19 na Mídia



Fonte: Rede Brasil Atual

São Paulo – Em seu último voto antes de se aposentar do Supremo Tribunal Federal, o ministro Celso de Mello negou, nesta quinta-feira (8), o recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) para que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento por escrito no inquérito em que é investigado de interferência na Polícia Federal. Segundo Celso de Mello, decano do STF, Bolsonaro não tem o direito de depor por escrito porque figura no processo na condição de investigado, e não como testemunha ou vítima. Ele repetiu o posicionamento manifestado em setembro, quando, monocraticamente, indeferiu o mesmo pedido.

Após o voto, o presidente do STF, Luiz Fux encerrou a sessão em homenagem a Celso de Mello, que se aposenta na próxima terça-feira (13). “A sessão deve se findar com sua última palavra”, disse Fux. Ele afirmou que os membros do STF estavam “lamentando que esta será sua última lição na qualidade de ministro”. Acrescentou que o mais antigo integrante da Corte “será sempre um farol para os integrantes do tribunal”.

Leia na íntegra: https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2020/10/ultimo-voto-celso-de-mello-stf-bolsonaro-nao-pode-depor-por-escrito/


LINK: https://artigo19.org/?p=19020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *