Nota sobre desaparecimento do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira no Amazonas

Dom Phillips (esq.) e Bruno Pereira estão desaparecidos desde 05/06 no Amazonas | Fotos – reprodução Twitter/ Daniel Marenco (O Globo)

ARTIGO 19 acompanha com preocupação a notícia de que estão desaparecidos Dom Phillips, jornalista inglês colaborador do The Guardian, e Bruno Pereira, indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai). Ambos viajavam pelo Vale do Javari (AM), tendo sido vistos pela última vez no domingo, 05/06.

Dom Phillips e Bruno Pereira rumavam à Atalaia do Norte (AM), em uma viagem que dura aproximadamente duas horas, e não chegaram ao destino final. A viagem tinha por objetivo entrevistar indígenas próximos ao Lago do Jaburu, em visita à equipe de Vigilância Indígena que fica no local. A viagem fora programada com antecedência e, ao que tudo indica, não havia problemas na embarcação que utilizavam ‒ era nova e apta para realizar o trajeto. Bruno conhecia profundamente a região, e ambos faziam expedições desse tipo juntos desde 2018. Segundo informações divulgadas pela Univaja (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari), eles teriam recebido ameaças antes do desaparecimento. 

A Polícia Federal foi acionada e investiga o caso, sem apresentar informações adicionais sobre o que teria levado ao desaparecimento. Grupos de busca organizados pela Univaja já circularam pelo trajeto, sem encontrar quaisquer indícios, evidências ou outro elemento que indique o paradeiro da dupla.

A ARTIGO 19 se solidariza com os familiares e colegas de Bruno e Dom, e seguirá acompanhando atentamente as investigações e o cenário de risco que circunda a atuação de comunicadores e defensores de direitos humanos na região. Exigimos celeridade e efetividade nas investigações, buscando responder às questões que restam abertas. Lembramos também que o Estado Brasileiro tem compromissos internacionais com a proteção de comunicadores e defensores de direitos humanos, bem como com a proteção aos direitos à liberdade de expressão e ao acesso à informação, fundamentais ao Estado Democrático de Direito.

Postado em

Icone de voltar ao topo