#ALERTA – Jornalista é assassinado em Minas Gerais com cinco tiros

20 de agosto de 2016 - Notícias



MauricioCampos

A ARTIGO 19 manifesta preocupação com mais um homicídio de um comunicador no país, o quarto caso só em 2016. Na noite de quarta-feira (17), o jornalista e empresário Maurício Campos Rosa foi assassinado na cidade de Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o proprietário do jornal O Grito recebeu cinco tiros após sair da casa de um amigo no bairro Frimisa e faleceu depois de ser levado ao hospital.

O jornal O Grito é conhecido por realizar cobertura política na região, inclusive realizando denúncias sobre autoridades locais. Essa informação é importante, na medida em que um dos fatores que reproduzem o cenário de impunidade nas violações contra comunicadores é o possível envolvimento de autoridades locais nesses crimes. Segundo levantamento da ARTIGO 19, agentes do Estado, especialmente políticos e policiais, figuram como suspeitos autores em cerca de 70% dos casos de graves violações contra comunicadores ocorridas nos últimos anos.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais expressou indignação pelo assassinato de Maurício. Para a entidade, apesar de ainda não se conhecer relação entre o homicídio e a atuação profissional da vítima, o assassinato assusta os jornalistas e traz à tona lembranças de homicídios recentes de profissionais de Minas Gerais, que seguem mal apurados e não resolvidos. Os casos mencionados pelo Sindicato estão no portal Violações à Liberdade de Expressão, da ARTIGO 19.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Polícia Civil informou que abriu investigação acerca do homicídio do jornalista. O delegado César Matoso, que acompanha o caso, declarou que só se pronunciará após a conclusão do inquérito.

Para a ARTIGO 19, é fundamental que as autoridades respondam de maneira rápida e efetiva a crimes como esse, especialmente em um contexto marcado por crimes contra comunicadores cujos perpetradores seguem impunes. Dessa maneira, é alarmante que a falta de acesso a informações sobre as investigações impeça que a sociedade civil possa acompanhar a devida apuração do caso.

Pela atuação do jornal de Maurício, a ARTIGO 19 reafirma a necessidade de que a atividade profissional da vítima seja levada em consideração como uma das linhas investigativas do caso, ressaltando ainda a importância dos esforços conjuntos dos órgãos públicos brasileiros para combater a violência contra comunicadores no país, que segue aumentando.

Foto: Arquivo pessoal


LINK: http://artigo19.org/?p=9741

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *